quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Sobre o Rio

Bom galera, começo este post desejando um ótimo ano novo pra todos vocês, um 2009 cheio de luz e esperança, grandes desafios e grandes conquistas.
Meu ano novo começou na belíssima cidade de Cabo Frio no estado do Rio, e acho que acabei retornando para Minas em um ano novo, como uma pessoa nova.


Cabo Frio/Rj

Me impressionei com a animação daquele povo, super de bem com a vida, e não nego que havia algum preconceito em minha maneira de pensar, como acho que ocorre também com qualquer pessoa, mas tive a sorte de conseguir mudar essa percepção, em 100%, digamos.
Em questão de hospitalidade, sempre acreditei que os mineiros seriam referência por aih, mas agora vejo que é uma característica dos brasileiros mesmo. E vai ser trabalhador esse povo!

Neste quesito, às vezes me pego pensando se estou realmente agindo como um brasileiro; se estou me esforçando para fazer um país e um mundo melhor, e fazendo isto hoje. E muito me recorda o belo post do Samuel, entitulado Dance monkeys dance, onde esta mesma questão é levantada, completada por uma série de comentários interessantíssimos, e um vídeo muito curioso.

E é este mesmo vídeo que levantou outras questões durante a viagem a Buzios/Rj, em uma conversa com o companheiro Péla. Segundo o vídeo de Ernest Cline, somos humanos querendo ser mais do que humanos, mas então qual seria o "limite" desta raça humana?
Enquanto alguns defendem a soberania absoluta do ser humano sobre todos os outros animais, outros apontam apenas ligeiras diferenças, que a evolução escolheu para ser da nossa espécie. Mas e a inteligência? Será o ser humano um ser realmente à parte, ou um ser como todos os outros, no mesmo patamar, com habilidades maiores?

Atualmente já penso o ser humano como duas partes; o hardware e o software; o corpo e aquilo que alguns chamam de "alma", ou "espírito", termos especiais para credos e religiões diferentes mas que sugerem a mesma ideia, de algo além deste nosso mundo físico. Talvez nossa diferença entre outras espécies seja sim de hardware, diferenças estruturais, mas também da porção desta substância metafísica, que seria a responsável pela inteligência, e pela vida. Mais latente nas plantas, um pouco maior nos animais, e em maior quantidade nos seres humanos; e que nos permite ter, mais do que em qualquer outra espécie, esta sensação de ligação com algo além, com a própria natureza, e outros seres humanos.

Por isso aconselho também olhadelas no blog do Marco, que traz de uma maneira bem direta esta questão de relacionamentos humanos, um raça complicada, mas compreensível se levarmos em consideração o que diz Ernest; somos 6 bilhões de seres humanos, e 6 bilhões que se sentem sozinhos neste mundo. Compreensão é a palavra-chave para lidar com esta espécie complicada, e com amor tudo se resolve. =)

Grande Abraço, e um Feliz 2009!!

2 comentários:

Samuel disse...

Eh brow.... vc fez um juntado ai dessa vez né! heheheheh
Não sei como podemos nos classeificar, nem separar dos animais, acredito numa relação corpo x espírito mas também não sei se somos diferentes de um animal ou de outro, será que estamos mesmo um passo a frente? são dúvidas que acredito que continuarão por muito tempo mas valem mesmo uma boa reflexão numa nebulosa!

Abração brow!

Tsuki no Kangae disse...

Olá,
Ainda bem que o brasileiro é hospitaleiro, isso ajuda muito no turismo, hehehehe.

Muito interessante o seu texto. Tenho lido tanto o seu blog quanto o do Samuel, ambos estão fazendo com que eu reflita sobre o meu futuro e formatura. Percebi que eu sou curiosa.

Bom mas falando do seu texto, me fez lembrar de Platão e o que ele diz sobre dualidade do Mundo e dos homens.

De acordo com Platão, o mundo é dividido entre o mundo dos sentidos e o mundo das idéias.

E o homem é dividido entre corpo e alma. O corpo vive no mundo dos sentidos onde tudo flui e da qual utilizamos nossos 5 sentidos. E a alma vive no mundo das idéias, onde pode –se chegar em um conhecimento mais profundo e verdadeiro.

Recomendo que leia O Mundo de Sofia, páginas 102 e 103. É apenas uma comparação com software e hardware.

Depois comento sobre religião, o meu comentário ta muito grande hehehe.

Se cuida,

Chandra